Customização: Lotus de duas rodas

Fã de Ayrton Senna se inspira na Lotus que deu primeiras vitórias ao piloto como tema para café racer




Não existe homenagem maior do que tatuar nome ou rosto de alguém na própria pele. E isso ele já fez... O dono desta café racer é fã de Ayrton Senna e queria mais, por que não customizar a moto com o tema de um dos bólidos que marcou a carreira do tricampeão? A icônica Lotus patrocinada pela marca de cigarros John Player Special, com a qual Senna obteve as primeiras vitórias na F1, foi a escolhida e certamente se transformou num tributo de duas rodas respeitável executado pela Shibuya Garage.

Amodificação partiu de uma Honda CB 1300, modelo que é um clássico moderno e por isso traz a tecnologia e confiabilidade contemporânea. Não se pode negar os benefícios de injeção eletrônica e uma mecânica confiável para quem pretende realmente usar a moto, além de a CB já vir com componentes atuais muito procurados em café racers modernas como as suspensões ajustáveis e freios de alta performance. Mas eles não se contentaram com o trio básico pintura-semi-guidões-rabeta, mergulharam fundo na transformação.

Design

Tudo começou despindo a CB de plásticos e adornos desnecessários. A estrutura traseira que originalmente abriga um generoso banco de passageiro foi encurtada com novos tubos que mantêm uma linha de cintura plana, não arrebitada como no desenho anterior. Outro recurso para simplificar as linhas foi eliminar lanterna e luzes de direção traseiras embutindo LEDs no tubo de aço do chassi, que recebeu pequenos orifícios para tornar a sinalização visível. Na nova estrutura seria instalado o tradicional banco monoposto com uma capa de alumínio sobre a parte traseira. O tanque remodelado se tornou mais estreito, perdeu os vincos que caracterizam o design mais atual e ganhou um visor de nível da gasolina (o painel tem apenas um conta-giros da alemã MotoGadget). A micro-carenagem em volta do farol se inspira nas linhas de capacetes de mergulho antigos de obras de ficção científica Steampunk; o guidão alto saiu para que semi-guidões fossem fixados diretamente às bengalas e a roda de liga leve retornou à fórmula do clássico aro com raios.     

Cores

Os patrocinadores da Lotus de Ayrton foram todos contemplados na pintura, que trocou o tema principal preto e dourado por azul fosco e prata. Predomina a inconfundível marca de cigarros John Player Special com sua logomarca formada pelas iniciais JPS sobrepostas, ficando a rabeta reservada às outras marcas. As molas dos amortecedores originais também passaram ao azul, assim como os cabos de vela do motor (ambos eram vermelhos) e os terminais dos flexíveis de freio. O marrom foi escolhido para as manoplas e para o couro da capa do banco e da cinta que decora o tanque.      

Motor

O 4 cilindros de alta capacidade que justifica o sobrenome Super Four do modelo não sofreu alterações internas, apenas foi remapeado para se adequar ao maior fluxo proporcionado pela admissão sem caixa e filtro de ar e a ponteira de escapamento minimalista, quase direta, que embute um discreto abafador. Uma belíssima peça de alumínio foi esculpida para camuflar a admissão por corpos de borboleta da injeção eletrônica, logo abaixo outra peça de alumínio cobre o retificador (os componentes elétricos foram reposicionados ou camuflados). 

 

Fonte: revistaduasrodas.com.br