Customização: uma clássica modernizada

Yamaha XJR 1300 é uma retrô inspirada nos anos 1980, com um big four de respeito; mas esta mergulha ainda mais fundo na mistura de clássico e moderno




Motos como a Yamaha XJR 1300 e suas concorrentes Honda CB 1300 Super Four e Suzuki Bandit 1250 são especialmente apreciadas no Japão, onde mesclam a estética saudosista com um grande quatro em linha a componentes modernos. Não há entusiasta dos modelos japoneses de alta cilindrada dos anos 1970 e 1980 que não entre em êxtase com estas clássicas de tecnologia atualizada, ótima ciclística e bancos espaçosos.

Para este projeto os espanhóis da Macco Motors escolheram uma XJR 2006, que ainda vinha com motor refrigerado a ar (devidamente adornado por aletas) alimentado por quatro carburadores e originalmente entrega 106 cv e 10 kgf.m de torque. “Procuramos sempre elevar a performance e sofisticar a estética respeitando o espírito clássico do modelo”, explicam os customizadores.

E assim eles seguiram na direção de uma esportiva clássica com recursos modernos, removendo cromados e plásticos (inclusive da rabeta, que teve o subquadro encurtado) em favor do preto e da mecânica exposta. Poucos componentes de fábrica podem reconhecidos, como o tanque agora vermelho perolizado com faixa central preta e filetes dourados, ou o motor antes prata que passou a ter fundo preto com polimento destacando tampas laterais, do cabeçote e aletas.

A frente foi inteiramente substituída por uma da superbike Suzuki GSX-R 1000, incluindo roda, pinças de freio Tokico e o garfo invertido dourado fazendo par com os amortecedores Öhlins originais da XJR. Acima do pneu Metzeler Sportec M5 está um para-lama curto moldado em fibra de vidro (o traseiro foi eliminado). Ao montar no novo assento monoposto – porém espaçoso – com costuras transversais e terminação ao estilo café racer, o piloto apóia os pés em pedaleiras mantidas na posição original e repousa as mãos em manoplas Avon com retrovisores nas extremidades, instalados em semi-guidões. À frente está um painel pequeno e circular MMB com escala analógica e um discreto display digital, minimalista como o conjunto de iluminação de mesmo formato composto por farol, piscas e lanterna reduzidos. Arrematando a estética das laterais estão dois number plates ovais de aço replicando a padronagem da parte central do tanque, em preto com filetes dourados, e duas belíssimas ponteiras curvas cortadas e soldadas sob medida pela também espanhola GR Exhaust Systems. 

 

Fonte: revistaduasrodas.com.br